Metidos em casa pelos piores motivos, um inimigo invisível, eis-nos reféns dos acontecimentos que não controlamose que, malfadadamente, tomaram controlo da nossa vida, confinando-a.

As ocupações em casa são necessariamente escassas, limitadas e a televisão já nem nos serve de refúgio pois entre números e casos num relato que nos tolhe, e uma Netflix já esgotada de interesse, impelem-nos para a leitura mas até os livros se esgotam junto com a nossa paciência. A internet é fiel companheira, embora mais lenta, pois sacia-nos a curiosidade e alivia-nos a carteira com esta ou aquela compra.

Resta-nos para sobrevivermos com qualidade a descoberta dos nossos hobbies passiveis de desenvolvimento intramuros. A paixão pelos vinhos e gastronomia é um desses casos que nos trará recompensas de monta e um inexorável aumento da nossa cultura geral.

Vejamos o caso dos vinhos esse mundo que se nos abriu perante os nossos olhose que a pandemia veio reduzir aos supermercados e algumas lojas on-line que repetem os vinhos que já conhecemos ou outros desconhecidos sobre os quais não temos informação criando-nos insegurança nas compras.

Tristemente limitados nas opções abre-se, no entanto, uma janela transbordante de oportunidades e de surpresas. Falo dos Clubes de Vinhos, especialmente daqueles que com gente no terreno escolhem para nós bons vinhos que doutra maneira não chegariam ao nosso conhecimento. Satisfazem-nos a curiosidade, alargam-nos os horizontes, enriquecem-nos a cave e alegram-nos a vida.

Sim, os Clubes dos vinhos podem ser e são a resposta às nossas preces uma vez que nos abrem a janela da diversidade e alargam-nos a visão enófila. Há Clubes do Vinho que escolhem mensalmente junto dos produtores os seus melhores vinhos e que no-los propõem da única forma séria que conheço, através da sua ficha técnica elaborada pelos seus profissionais que nos proporciona ampla informação sobre o vinho e sobre os seus casamentos gastronómicos, além das informações técnicas como castas, grau alcoólico, período de vida previsível, etc. Sabemos o que compramos.

Mais , do que analisei, tudo o que nos pedem é o compromisso flexível de colocarmos uma encomenda regular mensal , pois como só compram o que vendemnecessitam saber as quantidades a encomendar aos produtores por forma a satisfazerem os seus membros e não ficarem com stocks excessivos o que se compreende pacificamente nos difíceis dias que correm.

Dizia que pela mão destes clubes do vinho e dos seus profissionais embora em nossas casas viajamos por esse Portugal fora,de forma segura, deixando para os profissionais o que melhor fazem: escolher bons vinhos. Para nós fica só e apenas o difícil, penoso e árduo trabalho de os apreciar à mesa…

Numa busca que efectuei sugiro dois dos mais antigos clubes do nosso país

www.clubedovinho.pt

www.clubedevinhosesabores.pt

 

Desejo-lhe boa viagem neste périplo que cheio de emoções, paixões e surpresas.

Published On: Janeiro 18th, 2021 / Categories: Vinhos /